Sim, pode.

Fica à critério da empresa definir por contratar ou não um motorista cujo exame tenha tido resultado positivo.

Segundo o que descreve a Portaria 116, de 13 de novembro de 2015, do Ministério do Trabalho e Emprego, o exame toxicológico não deverá ser utilizado para atestar a capacidade funcional do motorista e portanto não constará no PCMSO, logo, não condiciona a contratação do motorista ao resultado negativo para o uso de substâncias psicoativas. Sendo assim, a decisão pela contratação do motorista, mesmo quando o exame toxicológico apontar o uso de substância psicoativa, (for positivo), é da empresa.

Entretanto, é importante salientar os riscos aos quais a empresa se expõe ao contratar um usuário de substâncias psicoativas e mais importante, o risco que a empresa impõem sobre outros ao endossar a admissão de um motorista cujo o consumo de tais substâncias tenha sido constatado.

O exame toxicológico de larga janela é uma forma que a empresa tem de aferir a idoneidade do motorista, bem como a capacidade cognitiva de evitar ou sair de situações de risco sem causar danos à terceiros.

A Toxicologia Pardini é credenciada ao DENATRAN e possui um histórico irrepreensível de resultados do exame toxicológico com alto índice de assertividade, sem falsos positivos ou negativos.

Este dado demonstra nosso compromisso com a veracidade dos nossos resultados – não há falsos positivos ou falsos negativos em nosso em nosso histórico em mais de 17 anos no mercado de exames toxicológicos só no Brasil.